sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Labirinto

Ela já tinha seu rumo e seu destino traçado, mas ele a queria tanto que conseguiu mudar seu caminho. Ela se deixou levar, ela abandonou metas, ela se apaixonou e se entregou. O beijo aconteceu no escuro, mas iluminou todos os seus sentidos. Ele tinha o que ela queria. O beijo, o toque, a respiração e a pele pareciam se encaixar, até que veio o dia e a claridade escureceu seus sonhos e ela se sentiu sozinha de novo. Ela nunca sabia se ele seria dia ou seria noite ao encontrá-la. O carinho e a delicadeza, antes tão presentes nele estavam sendo substituídos por algo frio que a deixava perdida e sem ação. Havia sido aconselhada a pular nesse novo mundo. Ela entrou então em um labirinto de ideias e sentimentos, mas não tinha ajuda de ninguém para sair de lá. As palavras dele não se refletiam mais em suas ações e ela começou então a ficar triste. Sua tristeza se tornou solidão. Sua solidão corria o risco virar cansaço. Ela então ficou calma, pois sabia que após o cansaço viria a transformação e que depois dela, acharia a saída para o labirinto.

Aline Calamara.

3 comentários:

  1. lembre-se que todo dia é uma nova chance.

    brigada pela visita, estou te seguindo também.

    PS. você nao apareceu na listagem de seguidores do meu blog, dpois da uma olhadinha ta?

    um xeeeero!

    ResponderExcluir
  2. É o risco que se corre, em abrir mão de planos, em função de outra pessoa. Pagou pra ver, e viu.
    Bjux

    ResponderExcluir
  3. Aline,


    Quanta sabedoria em seu texto poético.
    Lindoooooooooooooo ... :)


    Bjo Grande !

    ResponderExcluir