terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

De segunda a sexta (A equilibrista do salto alto)

Os olhos que não querem abrir
A claridade que teima em invadir
O relógio cruel que insiste em informar o atraso
A correria pela manhã e o transito que me envolve
O fone no ouvido para ritmar a cidade dentro de mim
Os passos apressados da equilibrista do salto alto
Os papéis, os telefonemas, as vozes, os sons e o cansaço
O desejo de descanso, a vontade de tranqüilidade e paz
O coração que quer sorrir, a cabeça deitar e o mar abraçar
Precisando parar, precisando viajar, precisando colorir.

Aline Calamara.