quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Um lugar

Onde eu possa respirar tranquila
Meu corpo descanse e minha mente fique em paz
Meu coração sinta amor e meus pés toquem a areia
Minhas mãos façam carinho e meus ombros sejam plumas
Minha boca seja sorriso e meus olhos felicidade




quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Faça você mesma!

Fiquei um tempinho sem atualizar as dicas de decoração, mas estou de volta. Estava ocupada com trabalho, freelas, projetos etc. Agora que estou de volta, resolvi postar algumas dicas de Faça Você Mesmo. São ideias que gostei e que fui selecionando sempre que via a achava que vocês poderiam gostar também. Espero que curtam e se inspirem. O importante é tentar!

Mural de avisos prático e fofo

Arte com vinil!!! 

Fotos sob o vidro - estilo "antiguinho"
 Linha na garrafa - você escolhe a cor!

Para área externa da casa - prático.

Dando um "up" na escada com tecido.

Dando um 'up" na parede com tecido.

Fácil e bonito.

Escolha uma frase, o fundo e a moldura.

Pendure formas no lustre ou abajur!

Porta tudo com latinhas!!

Prateleira diferente (escada antiga)

Escorredor de macarrão

Quadro com linha

Caixinha vira caminha

Porta-retrato diferente (janela velha)


terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Para ver e sentir....

As pessoas que me conhecem pessoalmente e fazem parte da minha vida, sabem que além de jornalista, eu cursei faculdade de cinema e sou uma amante da sétima arte. Já escrevi críticas de filmes para alguns sites e me divertia mais do que trabalhava nessa época rs. No momento, além de trabalhar durante o dia normalmente com jornalismo, venho mergulhando em três projetos cinematográficos com dois amigos. Um curta, um documentário e uma pequena série independente – ainda em fase de roteiro. Com isso, tenho visto mais filmes do que o normal. Resolvi aproveitar para colocar aqui no blog algumas dicas de filmes que gosto muito e que tenho visto novamente para inspiração em meus projetos. Para não virar um post muito cinéfilo e grande, resolvi postar só alguns e depois com o tempo, irei indicando mais alguns. Bom filme!

O Fabuloso destino de Amelie Poulan
Um dos meus filmes favoritos. Talvez por eu me identificar tanto com a personagem... Com poesia e humor, a história fala da Amelie, uma menina parisiense que se sente um peixe fora d’ água e se preocupa demais em resolver questões alheias esquecendo-se as vezes de si mesma... A narrativa é vibrante, a montagem é perfeita e a direção de arte é sem comentários. Cores perfeitas. O filme é sucesso no mundo todo até hoje. Amo esse filme.


Brilho eterno de uma mente sem lembranças 
O que acontece quando um homem tenta esquecer, de qualquer forma, o amor de sua vida? É fascinante a maneira brilhante com que o roteirista conta uma história que não apenas ilustra com perfeição a dor de um relacionamento fracassado. No filme, o personagem Joel, vivido por Jim Carrey descobre que sua ex-namorada se submeteu a um procedimento para removê-lo de suas lembranças (no filme isto é possível e feito por uma empresa chamada LACUNA) e decide seguir o mesmo procedimento, mas, durante a cirurgia, percebe que quer manter as memórias e faz de tudo para evitar que estas sejam removidas de seu cérebro.

Os esforços de Joel para manter viva a lembrança de Clementine, vivida por Kate Winslet (sua ex) são o grande atrativo do filme.Em primeiro lugar, as tais memórias são `apagadas` em ordem cronológica inversa, e, assim, vemos os últimos momentos do relacionamento do casal em primeiro lugar – e, à medida em que o filme avança, retrocedemos no tempo e descobrimos o encanto que inicialmente existia naquele casamento. Além disso, ao reviver os momentos mais marcantes de sua vida com Clementine, Joel conclui o óbvio: só conseguimos evoluir graças às nossas experiências (boas ou ruins), e perder este referencial é um preço alto demais a se pagar pelo conforto de evitar sofrer por algum tempo. Um dos filmes mais bonitos que já vi.


 Depois do amanhecer/Antes do pôr do sol
Dois bons atores, diálogos inteligentes e duas cidades lindas como cenário e uma história de amor. Dois bons atores, diálogos inteligentes, duas cidades lindas como cenário e uma história de amor. “Antes do Amanhecer” (Before Sunrise, EUA/Áustria/Suíça, 1995) e sua honestíssima continuação “Antes do Pôr-do-Sol” (Before Sunset, EUA, 2004) são estruturados apenas sobre esses pilares e mostram como a simplicidade bem executada pode garantir belas obras cinematográficas. Os dois filmes garantem identificação imediata com os personagens e logo se tornam aquelas obras que ficam com um gosto de filmes queridos, que a gente lembra com carinho e quer sempre assistir de novo. “Antes do Amanhecer” e “Antes do Pôr-do-Sol” são o tipo de filme ancorado nos personagens principais, aliás, nesse caso quase únicos. E sim, os protagonistas dão conta do recado com ótimas atuações e o que é mais importante, fazendo qualquer um se identificar com eles.


The Edukators

Eu adoro esse filme. A história é centrada nos jovens Peter, Jan e Julie que acreditam que podem mudar o mundo. Jan e Peter se autodenominam “Os Edukators”. Eles invadem mansões, trocam móveis e objetos de lugar e espalham mensagens de protesto, deixando recadinhos nas paredes como “você tem muito”. Um dia algo da errado (o que já é de se esperar) e eles precisam voltar a uma das mansões e são surpreendidos pelo dono e são obrigados a sequestra-lo. É um filme sensacional, com diálogos afiados, personagens encantadores e uma mensagem perturbadora. O filme abre uma discussão interessante sobre a juventude e mostra que dificilmente se encontra um idealista em um mundo capitalista e selvagem. A geração dos shoppings perdeu seu poder de protesto, mas no caso de Jan, Peter e Julie ainda existe uma esperança. 


 Amores Brutos (Amores Perros)
Em plena Cidade do México, um terrível acidente automobilístico ocorre. A partir deste momento, três pessoas envolvidas no acidente se encontram e têm suas vidas mudadas para sempre. Ele deixa no ar a questão do destino, de quantas vezes cruzamos com pessoas nas ruas sem perceber e quantas vezes conhecemos alguém achando que nunca o vimos antes, apesar de ter passado tantas vezes no nosso caminho.

O drama que o diretor Iñárritu propõe é contundente, com imagens que grudam na mente. Amores Brutos consegue ser um filme violento sem sangue e armas. As atuações são impecáveis e ajudam a dar consistência para a narrativa, além de afastar o risco de as histórias cheias de sofrimento se tornarem melodramas de novela.  O diretor comove o espectador ao mesmo tempo em que o deixa na posição de frieza e indiferença à condição humana. A comoção vem pela perplexidade.


 UM DIA 
Quando eu li o livro que que acabou virando filme, eu não imaginava que a história dos personagens Emma (Anne Hathaway) e Dexter (Jim Sturgees) fosse ter a mesma força no cinema, como tem nos livros. De fato, não tem. Esse detalhe não impede que o filme seja lindo e comovente. Os dois personagens se conhecem na faculdade e constroem uma relação de amor/amizade ao longo de 20 anos. A vida de ambos passa por várias outras vidas, mas sempre está, de alguma forma interligada. O filme mostra que não devemos esperar tanto para dizer eu te amo a que amamos.