sexta-feira, 23 de maio de 2014

Sobre abrir a janela

Dando espaço para algumas reticências, vírgulas e principalmente para o ponto final de coração tranqüilo. Tropeçando em melodias, compondo versos e misturando as cores. Entre árvores, o oceano e as nuvens de papel. Me afastando da tristeza para encontrar a paz. Flertando comigo mesma e descobrindo de que sou capaz. Olhando para a janela, passo a mão em meus cabelos e sinto aquela velha e conhecida vontade de ver o que acontece lá fora. A vida caminha. A vida pode e deve ser bela.


sexta-feira, 16 de maio de 2014

Relato do que eu ainda não sei

Eu sei que ainda há muito a aprender e sentir. Lugares para viajar, sabores a experimentar e pessoas a conhecer. Aprendi até agora que entre o PARE e o SIGA, aqui dentro também há um sinal de alerta. Um amarelo piscante antes ignorado pelo meu imediatismo daltônico. Descobri que as minhas leis não são universais. E que é de direito de cada um reger seu próprio caminho. Aprendi que o amor é mais forte que o ódio, mas também que amar quem não merece ser amado é o mesmo que odiar a si mesmo. Só faz sofrer. Aprendi que egoístas serão sempre egoístas. Aprendi que os atos valem mais do que mil palavras. Aprendi que os amigos verdadeiros e a família são a base da vida de qualquer pessoa. Aprendi que estar junto, também pode significar se sentir só. Aprendi que quem não lhe dá valor, nunca merecerá seu carinho e atenção. Aprendi que o amor existe sim. A gente é que se confunde e acaba acreditando em miragens e castelos de areia que se desfazem com qualquer problema ou briga. Covardes fogem. Valentes lutam. 


O que eu ainda não sei é como algumas pessoas podem preferir o ódio a reconciliação. Levantar a voz ao invés de pedir perdão. Dar as costas ao invés de estender a mão. Ainda não sei como algumas pessoas podem ser tão cruéis com os sentimentos alheios. Ainda não sei como alguns podem fazer o mal só porque sabem que serão perdoados. Ainda não sei como lidar com pessoas que serão eternamente vítimas de si mesmas e que acham que o mundo e todos em volta são os vilões. Ainda não sei se essas pessoas poderão um dia acordar e sair da cegueira em que vivem. O que eu não sabia e que agora aprendi, é que não preciso entender e nem compreender essas pessoas. Basta ficar distante, e elas não poderão lhe fazer mal. 

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Cortinas!!

Escolher a cortina certa, não é tarefa muito fácil. Ela pode dar um "up" ou acabar de vez com o visual de qualquer ambiente. Neste post, dou algumas sugestões de formas de se usar cortinas no quarto.